Bernhard Groethuysen

Estudioso, como Weber, das relações entre a ética protestante e o capitalismo, Groethuysen passou a maior parte da vida na França e na história medieval desse país achou os fundamentos de seu trabalho.

Bernhard Groethuysen nasceu em Berlim em 9 de janeiro de 1880. Filho de um holandês e de uma russa, teve formação universitária alemã e foi discípulo preferido de Wilhelm Dilthey. Desde estudante se relacionou com György Lukács e Martin Heidegger. Estudou em Paris e escreveu quase todas as suas obras em francês. Foi amigo de André Gide, que lhe dedicou o livro Oedipe (Édipo); de André Malraux, que o retratou como Gisors em La Condition humaine (A condição humana), e de Jean Paulhan.

Em 1931 foi nomeado professor da Universidade de Berlim. Sob o governo nazista, solidarizou-se com seus colegas judeus e mudou-se definitivamente para a França, onde viveu em pobreza. Sua obra Philosophie de la révolution française, de 1907, só foi publicada em 1957. É a história das idéias que precederam a revolução e já revela a tendência de Groethuysen a uma "redução" sociológica das ciências do espírito. Sua obra principal é Origines de l'esprit bourgeois en France (1927; Origens do espírito burguês na França), em que, na trilha de Max Weber, mostra como, na França do século XVII, a preocupação medieval com a morte foi substituída pela da sobrevivência na empresa (comercial ou industrial). Groethuysen morreu em Luxemburgo, em 17 de setembro de 1946.

     
Digite aqui seu
E-mail para receber notícias de filosofia!



Se acaso qualquer informação do site estiver equivocada, por favor avise-nos que corrigiremos